A importância do cadastro de produtos na estratégia D2C

27 novembro - 2019
4 mins

O comércio direct-to-consumer (D2C) – em que fabricantes vendem diretamente a clientes finais – está ganhando espaço no e-commerce brasileiro e mundial. Uma pesquisa realizada pela Salesforce em 2019 revela que 99% das principais marcas globais de bens de consumo já estão investindo nesse modelo. Apenas 1% das empresas entrevistadas disse que a estratégia não é uma prioridade no momento.

Os dados do mercado brasileiro também reforçam essa tendência. As vendas D2C no Brasil registraram crescimento de 43% em volume de pedidos entre 2017 e 2018, conforme dados da Ebit|Nielsen. Além disso, elas geraram um faturamento de R$ 2,5 bilhões para o e-commerce do país no mesmo período.

A partir disso, fica nítido que as vendas online oferecem grandes oportunidades a indústrias e fabricantes. Entretanto, tal potencial exige que as marcas adotem estratégias diferenciadas para se destacar da concorrência. Pensando nisso, preparamos este post especial para falar sobre cadastro de produtos para grandes marcas nos marketplaces. Continue a leitura para saber mais!

Por que o cadastro de produtos em marketplaces importa para as grandes marcas?

Como comentamos, o e-commerce é uma rica fonte de oportunidades para a estratégia direct-to-consumer. Nesse sentido, um dos caminhos mais eficazes para o comércio D2C na internet é a venda em marketplaces. Esses sites – que funcionam como shopping centers virtuais – têm altíssima visibilidade, recebem tráfego qualificado e envolvem baixos custos de investimento.

Porém, o simples ato de anunciar produtos no site próprio ou nos marketplaces não necessariamente resulta em boa performance de vendas. Para que uma marca obtenha sucesso no e-commerce, é importante que ela adote estratégias de impacto na gestão do catálogo, com destaque para a otimização do cadastro de produtos.

Caprichar na criação dos anúncios é essencial para que a empresa conquiste as primeiras posições nos buscadores, alcance mais clientes e aumente as chances de venda dos produtos. De acordo com a pesquisa E-commerce Quality Index (EQI) 2019, a otimização no conteúdo do cadastro pode aumentar em até 30% a taxa de conversão. Ou seja, o impacto no volume de vendas é significativo.

Pensando nisso, separamos 4 dicas incríveis que podem ajudar grandes marcas a otimizarem o cadastro de produtos na internet. Confira a seguir!

4 dicas para fazer um cadastro de produtos otimizado

 

1.Criar títulos otimizados

O título é decisivo para o bom desempenho de qualquer anúncio, já que é por meio dele que os clientes encontram os produtos desejados. Como esse elemento impacta o posicionamento do anúncio nos buscadores, é importante que o conteúdo esteja otimizado para SEO e que contenha as informações mais relevantes da mercadoria.

Um título de alta qualidade precisa apresentar o nome do produto, a marca, o modelo e os atributos mais relevantes. O ideal é que ele tenha entre 20 e 100 caracteres e que não contenha abreviaturas. A imagem abaixo ilustra um exemplo de título bem otimizado para os marketplaces:

título e-commerce como fazer

Exemplo de título otimizado para os buscadores. | Reprodução: Mercado Livre

2.Ter descrições detalhadas

Criar descrições completas e detalhadas é mais uma ação crucial para que o produto obtenha destaque nos marketplaces. Basicamente, a função da descrição é apresentar as informações mais relevantes sobre o produto, esclarecer as dúvidas do público e convencer clientes a efetuarem a compra. Nesse aspecto, ela tem papel semelhante ao de um vendedor. 

A descrição deve ter no mínimo 300 palavras, mas o tamanho ideal é 1.700 palavras. No entanto, apenas 43% dos e-commerces brasileiros seguem essa recomendação, conforme revela a pesquisa EQI 2019. Frente a isso, algumas dicas podem ajudar as marcas a criarem descrições mais otimizadas.

Entre elas, estão detalhar as características físicas do produto e explicar o modo de uso, se for o caso. Além disso, é importante listar as certificações obrigatórias de categorias regulamentadas, como brinquedos – selo do Inmetro, por exemplo. Outra possibilidade é aproveitar o espaço da descrição para resumir a história da marca.

3.Investir em imagens de alta qualidade

As imagens influenciam totalmente a decisão de compra porque demonstram o que o público receberá ao comprar o produto. Como no e-commerce os clientes não podem tocar as mercadorias, as imagens precisam suprir essa necessidade. Sendo assim, ter atenção ao selecionar as fotos e prezar pela alta qualidade é fundamental para que a loja obtenha bons resultados.

Investir em imagens profissionais é a principal recomendação para as marcas otimizarem os cadastros. Além disso, é importante cadastrar pelo menos duas imagens em cada anúncio – o ideal é ter três ou mais imagens – e respeitar as regras de cada marketplace. Incluir vídeos nos cadastros também é uma boa estratégia para aumentar a taxa de conversão.

imagem e-commerce

Exemplo de anúncio com vídeo, técnica que aumenta a taxa de conversão. | Reprodução: Mercado Livre

Se você cria as imagens de qualidade, mas não consegue fazer os varejistas utilizarem em seus sites, conheça nosso Catálogo de Produtos Online para Indústrias.

4.Incentivar as avaliações e comentários

A última dica desta lista é valorizar o potencial das avaliações de compra. Segundo a pesquisa EQI 2019, a nota média dos produtos é o elemento mais relevante dos anúncios para o público. Junto a isso, itens com pelo menos 5 comentários têm 270% mais chances de venda do que mercadorias sem avaliações

Isso significa que incentivar o público a avaliar as compras pode trazer resultados significativos para a performance de vendas da loja. Nesse contexto, tenha em vista que cadastros otimizados devem ter nota média de, mínimo, 3,5 estrelas. Já em relação aos comentários, o ideal é que o anúncio tenha 5 ou mais comentários.

Otimize os cadastros da sua marca e ganhe ainda mais relevância!

Conforme explicamos neste texto, a otimização do conteúdo dos anúncios nos marketplaces pode melhorar muito a performance de vendas das marcas. Isso vale especialmente para fabricantes, indústrias e grandes empresas que desejam se destacar no comércio D2C online. Portanto, se esse é o caso da sua loja, comece a investir hoje mesmo em cadastros mais otimizados!

Para conferir outras dicas exclusivas de otimizações, acesse o Guia Definitivo do Cadastro de Produtos em Marketplaces, criado pelo Olist. E se a sua marca está em busca de tecnologias avançadas para gestão de catálogo no e-commerce, duas soluções indicadas são os programas Branded Store e Placeholder – clique nos links para conhecer detalhes de cada um.

Ficou com dúvidas sobre cadastro de produtos? Compartilhe nos comentários!

*Artigo produzido pela equipe da Olist, empresa que ajuda lojistas de todo o país a venderem pela internet. 

Deixe um comentário

Por favor, Log in para comentar
avatar
  Seguir  
Notificação de
4 mins
e-commerce quality index

EQI 2019: a qualidade do e-commerce no Brasil, Estados Unidos e América Latina.