Conteúdo gerado pelo usuário: o que é e quais as vantagens para sua estratégia no e-commerce

Bookmark(0)
3 mins

Aprenda as vantagens do conteúdo gerado pelo usuário e porque ele pode ajudar a sua marca a vender mais. 

Quando trata-se de estratégias de marketing é comum depararmos com um infinito de possibilidades e nos perdermos no meio de tantas opções. Ao mesmo tempo escutamos que, apesar de toda a tecnologia, o boca-a-boca continua sendo extremamente relevante. 

Ou seja, aproveitar a necessidade do ser humano de se expressar e compartilhar suas experiências e opiniões é uma forma barata e eficiente de gerar buzz, além de fortalecer a presença da sua marca em diversos canais. 

O marketing boca-a-boca é uma forma de conteúdo gerado pelo usuário e nesse texto você encontrará detalhes do que é essa estratégia e porque ela pode ajudar a alavancar as vendas do seu produto. 

O que é conteúdo gerado pelo usuário?  

O conteúdo gerado pelo usuário, também chamado de UGC (User Generated Content), é  qualquer mídia – foto, vídeo, artigo, tweet, comentário, avaliação – feito pelo consumidor sobre algum produto ou serviço e que esteja disponível para o público na internet ou não

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Qualibest indicou que 76% dos internautas já compraram produtos indicados por influenciadores e 84,2% dos consumidores já desistiram de uma compra depois de ler uma avaliação ruim. Essa é uma forma de entender o impacto que o conteúdo gerado pelo usuário pode provocar. 

Um exemplo disso foi a personalização das latinhas de Coca-Cola com nomes de pessoas: quanto mais GABRIELA, melhor). Muita gente já recebeu uma foto de uma Coca com o seu nome!  

Essa ação teve uma repercussão tão grande que virou case no mundo inteiro. 

Dito isso, entende-se que o conteúdo gerado pelo usuário pode ser algo feito de forma espontânea, mas também pode ser incentivado.

5 vantagens do conteúdo gerado pelo usuário

1. Prova Social 

Toda vez que procuramos uma opinião alheia, estamos buscando um facilitador na tomada de decisão, ou seja, uma evidência de que outras pessoas já compraram e aprovaram o produto ou serviço; e isso, nada mais é do que a prova social. 

Uma vez que você tem seus próprios clientes gerando conteúdo para a sua marca e trazendo depoimentos e comentários, a credibilidade e confiabilidade aumentam, tendo impacto direto na aceitação e, por consequente, na conversão em vendas

2.“Backlog” de ideias 

O Neil Ackerman, que já liderou equipes de inovação na Amazon, Mondelez e Johnson & Johnson, costuma dizer que uma boa estratégia de e-commerce vai desde às avaliações dos consumidores até o supply chain. 

São nas avaliações que o consumidor compartilha pontos positivos e negativos sobre a marca. Imagine que recebeu esse comentário: “Minha bolacha veio completamente quebrada dentro da embalagem”. 

Dentro da indústria isso impacta não somente o time de atendimento ao cliente que precisará respondê-lo, mas também é uma oportunidade de aprimorar o processo de fabricação e transporte, por exemplo.

Além disso, utilizar o conteúdo que seu cliente produz para mapear essa persona, entender seus hábitos, dores e gírias é um bom direcionamento para adaptar a comunicação, construir campanhas impactantes, que tragam bons resultados. 

3. Buzz e Brand awareness

Através desse tipo de conteúdo gerado pelos usuários, a sua marca pode alcançar públicos e lugares que outras estratégias não conseguiriam. Essas ações despertam curiosidade nas pessoas em entender porque as outras  estão tão engajadas naquilo. Isso acaba fazendo determinado público também começar a falar sobre o seu produto ou serviço.

4. Engajamento com a persona

Já percebeu como grandes marcas conseguem colocar o cliente no centro das iniciativas e utilizar as experiências deles com o seu produto/serviço como estratégia de marketing? 

É só observar o Instagram da GoPro e a quantidade de reposts das fotos e vídeos dos clientes utilizando a câmera. Esse tipo de reconhecimento gera aproximação da empresa com o seu cliente e torna-se uma comunidade. As pessoas gostam de ser valorizadas e acabam se transformando cada vez mais em promotores da marca. 

5. Baixo investimento, alto retorno

Segundo pesquisa da Lett e Opinion Box, 79,9% dos consumidores quando têm uma boa experiência de compra retornam ao site para avaliá-lo positivamente. Por outro lado, quando recebem o produto e ficam insatisfeitos, 65,4% retornam ao site para deixar uma avaliação negativa.

Portanto, mesmo que a empresa não queira, os consumidores tendem a produzir conteúdo nesses dois momentos: tendo experiências boas ou ruins, sendo uma interação quase que espontânea que acontece nas redes sociais, página do Google, vídeos de review no Youtube, por exemplo. 

Visto por tudo que precede, as pessoas estão cada vez mais dispostas a compartilhar e produzir conteúdo de qualidade para promover aquilo que acreditam ou se identificam. Cabe aos profissionais de marketing elaborarem estratégias para explorar essa base de fãs e promover a marca de forma assertiva. 

Agora que você entendeu a importância do conteúdo gerado pelo usuário ou UGC, queria te apresentar um guia no qual explicamos o impacto das avaliações e comentários no e-commerce. Lá, mostramos como as marcas podem utilizar esse recurso para aumentar as vendas no ambiente online. Confira! 

Paulista com o coração amineirado, sempre on the road, seja para viajar, trabalhar ou correr meias maratonas. Vivo caçando e criando conteúdo.

Deixe um comentário

Por favor, Log in para comentar
avatar
  Seguir  
Notificação de
3 mins
e-commerce quality index

EQI 2019: a qualidade do e-commerce no Brasil, Estados Unidos e América Latina.