Dicas de SEO para e-commerce: 6 passos para gerar tráfego orgânico

Bookmark(0)

Com a dimensão do Google, buscador que realiza mais de 3 bilhões de pesquisas diárias, é importante traçar estratégias de tráfego orgânico para conseguir se posicionar nos primeiros resultados de busca e destacar os produtos do seu e-commerce.

Para te ajudar, criamos algumas dicas de SEO para e-commerce para você compreender quais são as principais práticas e como aplicá-las.

O que é SEO e qual a sua importância?

Tudo deve começar da base. Por isso, ter um entendimento sólido sobre o que é SEO é chave.

Primeiramente, você deve entender o que significa descrever seu site para os motores de busca, principalmente o Google. Para isso, o principal conceito a trabalharmos é o de “palavras-chave”.

Elas servem para elencar cada página do seu site sobre assuntos específicos, e apenas uma palavra-chave pode ser utilizada como o “centro das atenções” por página. Outras palavras-chave podem ser utilizadas como secundárias para ajudar na descrição, porém.

Outro detalhe importante é que você não deve utilizar a mesma palavra-chave como foco para duas páginas diferentes, ou estará gerando competição para si mesmo e dividindo conteúdo que poderia estar reunido em uma mesma página.

Quais ferramentas utilizar para aplicar SEO ao seu e-commerce?

Para identificar as melhores palavras-chave e realizar SEO on-page em seu e-commerce, é recomendado que utilize o planejador de palavras-chave do Google, que é simples de usar e gratuito.

Por fim, para você entender a importância do SEO, deixamos algumas reflexões:

  1. Você tem noção de que o Google é o site mais visitado no mundo, e que o Brasil é o segundo país que mais busca por “Google.com”?
  2. Você sabia que o cliente precisa traçar uma “jornada de compra” até que ele finalmente efetue uma compra, e que o SEO tem função crucial na jornada de compra online?

Por essas e outras, SEO é o principal investimento para obter um bom ranqueamento no Google e gerar tráfego para seu site.

Dicas de como gerar tráfego orgânico

Tráfego orgânico é toda aquela visita que seu site recebe de maneira espontânea; ou seja, não advinda de anúncios, e-mails e outros esforços de marketing.

O cliente acessa seu site de maneira natural: pesquisa no Google, acha seu site e clica para acessar.

Sabendo como gerar tráfego orgânico e tamanha sua importância, vamos aprender como atingir bons resultados de SEO na prática.

1- Crie bons títulos “title tag”

Entre tantos tipos de título, existe o “title tag”, que é o nome da sua página quando ela aparece como resultado de busca nas páginas do Google.

Sim, o nome da sua página não precisa ser o mesmo que aparece no Google.

Os title tags devem ser atrativos, com a palavra-chave presente nele.

Além disso, você deve optar por alguma das estratégias abaixo:

  • Utilizar power words: palavras com apelo sentimental, como “promoções exclusivas”, “x% de desconto”, “x% OFF”, “frete grátis”, etc.
  • Utilize um numeral em seu título (número de modelos disponíveis, porcentagem do desconto, número do prazo para a entrega, entre outras formas.)
  • Criar title tags únicos para cada produto, tente evitar duplicações. O Neil Patel sugere usar a fórmula “marca-modelo”. Com ele, a sua title tag deve ser estruturada tentando seguir este padrão: Marca – Modelo – Tipo de Item. Por exemplo: Console Playstation 5 PS5 ou Aquecedor Halógeno Mondial Comfort Air II
  • “Coloque Toda Inicial De Palavra Em Letra Maiúscula”, ou “Pelo Menos as das Palavras Foco”. Como no exemplo acima: Console Playstation 5 PS5, Halógeno Mondial Comfort Air II. Tente não ultrapassar 70 caracteres, que é o que será exibido nos resultados do Google.

Na verdade, você pode até aplicar duas dessas estratégias ao mesmo tempo, mas três não para não ficar muito apelativo.

2- Crie boas meta-descrições

Se seu título não for o fator decisório para seu cliente, ele lerá a meta descrição da sua página para saber se clica ou não.

Para fazer uma descrição atrativa:

  • Utilize a palavra-chave na primeira linha da descrição do seu produto;
  • Respeite o número de caracteres, o ideal é que tenha até 160 caracteres;
  • Termine sua descrição com um gatilho para despertar curiosidade no leitor e fazê-lo clicar para conhecer o complemento da frase. Uma boa forma de fazer isso é descrevendo as características de um produto e logo após ter descrito o principal diferencial, você termina sua meta-descrição com reticências “…”, forçando o cliente a acessar a página caso queira saber a continuação.

3- Otimize as Imagens dos seus produtos

Página de produto sem imagem? Não! Imagens somam para o SEO e aumentam a taxa de conversão das suas páginas, fazendo seus clientes comprarem mais com você. Portanto, o primeiro passo é garantir que todas as páginas do seu site possuam pelo menos uma imagem. Referente às páginas de produtos, quanto mais imagens (e até vídeos), melhor.

No entanto, não é apenas “adicionar imagens e pronto”. Muitos sites têm apenas suas imagens upadas e armazenadas; depois disso não há atualização e correção das informações. Não seja este tipo de site. Se isso acontecer, você estará perdendo oportunidades para gerar mais tráfego.

O Google é capaz de ler o nome do arquivo e o “alt text” (um texto alternativo para caso a imagem não possa ser exibida) de cada imagem do seu site.  Por isso, inclua a palavra-chave na descrição de ambos, nome do arquivo e alt text, e ajude o Google a entender até os recursos visuais do seu site.

Tenha sempre sua palavra-chave bem definida para saber que termo utilizar na descrição. 

4- Crie boas URLs

Basicamente, URL é o complemento do domínio do seu site. Você terá uma URL para cada página, igualzinho às palavras-chave foco. Portanto, utilize sua palavra-chave foco na URL e respeite o tamanho limite.

“Nome do site.com.br/página”. Este é um exemplo de URL. A palavra-chave utilizada na descrição aparecerá após a “/”, substituindo “página”.

Exemplo: comprecenourasorganicos.com/cenouras-frescas 

Neste exemplo fictício, “cenouras frescas” seria a palavra-chave, então coloque a URL desta maneira. O cliente se guia melhor e o Google entende mais facilmente o conteúdo da página.

Além disso, atente-se aos “espaços”. Na URL, os espaços são substituídos por “-“, mas dependendo da ferramenta que utilizar isso pode virar um “_” ou inúmeros outros símbolos como “%”, por exemplo.

Faça manualmente sua URL utilizando o “-“ ao invés do espaço.

Na prática, o endereço de cada uma das suas páginas deve ser claro, e seu cliente deve saber onde está navegando apenas por ler a URL, mesmo antes enquanto a página estiver carregando.

5- Categorize bem o seu site

Não há palavras suficientes para descrever a importância de uma boa categorização e capacidade de filtragem de produto para realizar SEO para um e-commerce.

Isto porque, na maioria das vezes, o cliente não busca por um produto específico, mas sim por uma função.

Vamos tomar como exemplo uma marca esportiva que talvez você conheça: a Adidas. O novo modelo de tênis de corrida se chama “Ozelia”.

Mesmo que alguém queira especificamente este produto, a chance do usuário buscar por Ozelia é baixa. O usuário provavelmente buscará por “tênis de corrida Adidas”. Ou seja, a função, e isto se tornar uma nova palavra-chave – mais longa (long-tail) e mais específica.

Por isso, você deve ter seus produtos bem categorizados, com páginas dedicadas para cada tipo de filtro. Assim, você sempre terá resultados quando seus clientes tiverem um problema que você pode solucionar com o que vende.

6- Crie um blog

Crie um blog para falar sobre os lançamentos e os problemas que podem ser solucionados com os seus produtos. Dessa maneira, você atrairá pessoas para seu site que sequer saberiam da existência dele.

Um e-commerce de itens de cozinha que vende frigideiras, por exemplo. Qual será o fator diferencial para escolhermos entre uma frigideira de 20cm e uma de 28cm? Esta é uma dúvida pertinente para o público da marca, que pode pesquisar pela diferença no Google e acabar se deparando com o blog da loja.

Ter um blog também abre a possibilidade de abordar palavras-chave que muitas vezes não teria como apenas com os produtos da loja, mas que são relevantes no fim das contas. Em seu e-commerce você normalmente cria páginas com os nomes dos produtos como palavras-chave, mas não aborda “como utilizar”, “por que ter”, “qual a diferença entre”. 

Assim, você usa long-tail keywords em seu blog e fortalece o ranqueamento das páginas dos seus produtos, pois estará criando artigos relevantes para a palavra-chave que direcionam links diretamente para a página de compra do produto em seu site.

Agora que você já sabe as dicas básicas para rankear no Google, descubra como as imagens impactam no SEO para e-commerce.

26 anos, atua como copywriter e designer gráfico, sendo freelancer há dois anos. Também tem como hobby a ilustração.

0 0 vote
Article Rating
Seguir
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

EQI 2020: a qualidade do e-commerce sob a perspectiva do consumidor final.